terça-feira, 30 de junho de 2009

Os espinhos "dos outros"


Durante a semana recebo dezenas de e-mails e, dependendo do assunto, de quem enviou, ou do formato, a maioria vai direto para o lixo. Nem abro. Não tenho tempo pra ficar abrindo ".pps" bonitinho e sem conteúdo. E também que ninguém me peça para enviar correntes, orações, pedidos de ajuda. Não me comovo com foto de criança seguida de um texto enorme dizendo o quanto ela precisa de ajuda porque tem uma doença rara. A não ser, claro, que o e-mail venha direcionado a mim, e que a pessoa realmente seja conhecida, como nos casos de pedidos de doação de sangue que eu também já fiz.
Mas essa semana foi diferente. Recebi um texto curto, simples, que me fez refletir sobre falhas e a capacidade de conviver com as imperfeições do próximo. Repassei a alguns poucos amigos, não na intenção de uma "lavada de cara", ou dar uma lição de moral. Foi porque senti que eu também posso estar "espetando" alguém...

"A fábula do porco-espinho
Durante a era glacial muitos animais morriam por causa do frio.
Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente. Mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor. Por isso decidiram se afastar uns dos outros e voltaram a morrer congelados.Então precisavam fazer uma escolha: ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros. Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com alguém muito próximo podia causar, já que o mais importante era o calor do outro. E assim sobreviveram... Moral da História: O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e consegue admirar suas qualidades."


E você? Reclama que suporta muitos espinhos, ou sabe perceber que seus próprios espinhos também incomodam ao seu próximo?

11 comentários:

Elo disse...

Adorei o post
Eu ja havia lido o texto, num e-mail que me mandaram, mas não refleti muito, mas agora que li o texto de novo, me dei um tempo pra refletir.

Beijo

Elo

http://www.myownrealiity.blogspot.com/

BobbaVip disse...

Blog muito bom para parar e refletir, continue assim ou melhore...
Abração (!) :D~ voltarei & estou seguindo

Raiana Reis disse...

Oi Mau! Me identifiquei com os relatos sobre os e-mails... ideeeem, faço tudo q mencionou... rsrs
Quanto ao texto... menina! Que linda reflexão!! Realmente... ótimo pra germinar por aí nesse cotidiano tão individualista onde se quer a cada dia que o outro seja tão parecido com agente e não se aproveita as diferenças...

Obrigada sempre pelas figurinhas trocadas, sempre sou tocada com seus posts também!!
Beijão!

YAJIMA-CHAN disse...

AMEI SEU TEXTO!!
E O BLOG TB É MASSA!!!

SE PUDER PASSA LÁ NO MEU:http://yajimachan.blogspot.com/

JhOnnyMasteR disse...

Opa, olha eu aqui de novo [ ... ]
é sinal que eu gostei [ BobbaVip ]

Continue assim & ja estou seguindo

Andreia disse...

Há pessoas que possuem mais espinhos do que outras...E embora as qualidades sejam altas, ainda, alguns espinhos, podem ferir de maneira quase que fatal. Há amizades que duram anos e nunca um espinho atingiu o outro, mas há outras, que somente em alguns meses, já te espetam do pé a cabeça.

YAJIMA-CHAN disse...

obrigada!!
é uma boa idéia colocar meus desenhos no blog!!
com certeza vou fazer isso!!
bjusss*********

Pobre esponja disse...

Concordo plenamente com o texto. Comparo os porcos-espinhos do texto à raça humana: se não nos suportássemos o mínimo, não estaríamos aqui...
Também não tenho saco para corrente e essa groselhada toda não...

bj
Pobre Esponja

Euzer Lopes disse...

Depois disso, só posso dizer que não há melhor lição de vida do que a dos porcos.
Que, diga-se de passagem, são chamados por nós, humanos, de IRRACIONAIS.

lorena disse...

um amigo meu havia me contado este dito há muito tempo. o ruim é que a gente vai vivendo e fazendo tanto merda. é tanto orgulho, tanto ciúmes que os espinhos tornam-se insustentaveis. sejamos leve é o que sempre digo, mas não é tarefa das mais faceis naum

Alan disse...

muitooO bom...